twitterfacebookemail

Olá amigos!

Olá amigos!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Dinâmica do pirulito

Dinâmica: "Auxílio mútuo"


Objetivo: Para reflexão da importância do próximo em nossa vida

Material: Pirulito para cada participante.

Procedimento: Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito para cada participante, e os seguintes comandos: todos devem segurar o pirulito com a mão direita, com o braço estendido. Não pode ser dobrado, apenas levado para a direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A mão esquerda fica livre, para trás e não poderá ser usada. Primeiro solicita-se que desembrulhem o pirulito, já na posição correta (braço estendido, segurando o pirulito e de pé, em círculo). Quando a maioria conseguir (se a estiver demorando demais deixe que abram usando a mão esquerda) dê a seguinte orientação: sem sair do lugar em que estão, mão esquerda atrás, direita segurando o pirulito e esticado sem poder dobrá-lo, todos devem chupar o pirulito! Aguardar até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como executar esta tarefa, que só há uma: oferecer o pirulito para a pessoa ao lado!!! Assim, automaticamente, os demais irão oferecer e todos poderão chupar o pirulito. Encerra-se a dinâmica, cada um pode sentar e continuar chupando, se quiser o pirulito que lhe foi oferecido.

Para completar leia a mensagem:

As colheres de cabo comprido

Conta uma lenda que Deus convidou um homem para conhecer o céu e o inferno.
Foram primeiro ao inferno.
Ao abrirem uma porta, o homem viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão de substanciosa sopa e à sua Volta estavam sentadas pessoas famintas e desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher, porém de cabo muito comprido, que lhes possibilitava alcançar o caldeirão, mas não permitia que colocassem a sopa na própria boca. O sofrimento era Grande.
Em seguida, Deus levou o homem para conhecer o céu.
Entraram em uma sala idêntica à primeira: havia o mesmo caldeirão, as pessoas em Volta e as colheres de cabo comprido. A diferença é que todos estavam saciados. Não havia fome, nem sofrimento.
'Eu não compreendo', disse o homem a Deus, 'por que aqui as pessoas estão felizes enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual?'
Deus sorriu e respondeu:
'Você não percebeu? É Porque aqui eles aprenderam a Dar comida uns aos outros.'

Moral:
Temos três situações que merecem profunda reflexão:

1. Egoísmo: as pessoas no 'inferno' estavam altamente preocupadas com a sua própria fome, impedindo que se pensasse em alternativas para equacionar a situação;

2. Criatividade: como todos estavam querendo se safar da situação caótica que se encontravam, não tiveram a iniciativa de buscar alternativas que pudessem resolver o problema;

3. Equipe: se tivesse havido o espírito solidário e ajuda mútua, a situação teria sido rapidamente resolvida.


Conclusão:

Dificilmente o individualismo consegue transpor barreiras.

· O espírito de equipe é essencial para o alcance do sucesso.

· Uma equipe participativa, homogênea, coesa, vale mais do que um batalhão de pessoas com posicionamentos isolados.

Isso vale para qualquer área de sua vida, especialmente a profissional.

E, lembre sempre:

A alegria faz bem à saúde; estar sempre triste é morrer aos poucos.

Abra a discussão sobre o quanto é importante a participação e apoio dos pais nas atividades escolares e só unindo forças é que conseguiremos o sucesso dos alunos/filhos.
  Fonte: http://sillovinho.blogspot.com

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Espaço e forma

Traçando a rota

Júlia marcou com a sua turma de ir ao cinema. Como ela é nova na cidade chegou à esquina
da Rua São Paulo com a Rua Pedro Álvares Cabral e não sabia como fazer para chegar ao
cinema. Ela ligou para a amiga Sônia, que lhe falou que a rua do cinema é paralela
__________________________________________________. De onde está, deve andar________Quadras até chegar à Rua______________________________. Esta rua
é perpendicular à rua do cinema, que fica na Rua______________________________.
Que outro caminho você indicaria para Júlia chegar ao cinema?
__________________________________________________
__________________________________________________
__________________________________________________
__________________________________________________


Lendo uma crônica para contextualizar o estudo

Nome:______________________________data:___________

1. A crônica apresentada a seguir foi escrita por Carlos Eduardo Novaes. Você conhece esse Autor? E uma crônica, você já leu?
2. O livro de onde foi retirada a crônica que você lerá intitula-se A cedeira do dentista e outras crônicas. Em sua opinião, esse título combina com crônicas?Por quê?
3. Agora, imagine: do que tratará uma crônica chamada " O marreco que pagou o pato"?
4. Converse com o seu Professor sobre cada uma das questões apresentadas.
5. Agora, leia a crônica apresentada a seguir.


O marreco que pagou o pato
    






6. Você deve ter conversado com seu professor e colegas que a crônica sempre toma um fato do cotidiano para poder fazer uma crítica - ainda que com muito humor - de algo que atinge todas as pessoas. Pensando nisso, responda:
a) Que aspectos dessa crônica a tornaram engraçada?
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
b) Você acha que a última afirmação do autor do texto é verdadeira?
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________
____________________________________________________

 Estudando maneiras de introduzir as falas dos personagens

Nome:______________________________________data:______________

1. Releia o trecho apresentado a seguir.
         Leu atentamente um por um, devolveu-os e disse: "Agora deixe-me ver os documentos do marreco".
         - O marreco não tem documentos - respondeu o gerente.
       - Nenhum? Nem título de eleitor? Certificado de reservista? Nada? Então eu acho que vou ter que prender o seu marreco.
        - O senhor não pode fazer uma coisa dessas - ponderou o gerente. - Não há nenhuma lei que obrigue marrecos a ter documento.
         - Não há? - desconfiou o fiscal. - Então espere um momentinho.
         Foi ao telefone e ligou para o chefe da repartição: "Alô, chefe? Encontrei um marreco passeando pela rua sem documento".

2. Compare com o trecho abaixo e responda: o que há de diferente nesse segundo trecho?

Leu atentamente um por um, devolveu-os e pediu ao gerente para ver os documentos do marreco.
o gerente avisou que o marreco não tinha documentos. O fiscal ficou surpreso e disse que, então, teria de prender o marreco.
O dono do marreco ponderou que o animal não poderia ser preso, pois não havia nenhuma lei que obrigasse a ter documentos.
Diante disso, o fiscal ligou para a repartição e explicou o caso ao chefe.

3. Qual das maneiras de escrever você acha que dá a impressão de retratar com mais fidelidade as reações do falante diante da situação? qual maneira de contar a história deixou o leitor mais distante das reações da personagem? Explique.
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________



Conhecendo nosso planeta


( informar que a cor azul representa as águas, os tons amarronzados e esverdeados representam as massas continentais e o branco, as massas de ar. Informar que essa imagem foi produzida por um satélite a grande distancia da terra.) 

A Terra 

O planeta Terra, onde vivemos, é um dos planetas que giram ao redor do Sol.
A cor que predomina em nosso planeta observado do espaço é azul porque as camadas dos gases(atmosfera)  e de água (hidrosfera)  que envolvem  a Terra  dão ao planeta essa coloração. O astronauta Yuri Gagárin expressou tal fato em sua célebre frase "A Terra é azul!" .
As partes do nosso Planeta que são formadas por água são chamadas de Oceanos, mares, rios e lagos. Já as de terra firme são chamadas de Continentes e ilhas.